Destaque_ Filme_Avatar

Filme: Avatar Director: James Cameron Estreia em portugal: 17-12-2009 Género: Acção/Aventura/Ficção Científica Estúdio: 20th Century Fox Website: www.avatarmovie.com Entre os actores principais: Sigourney Weaver Michelle Rodriguez Filme em 3D que marca o regresso de James Cameron.

22 janeiro 2006

Hoje, onde está a "nossa criança" em nós?

Foto de: Desconhecido

Sento-me, olho em redor, busco algo não sei bem o quê.
Há dias em que nos sentimos vazios de conteúdo, vazios de ideias, quando tal acontece devemos tentar interferir com esse torpor e romper com essa barreira.
Será fácil?
Talvez sim, talvez não tudo depende daquilo que eu possa ou não "usar" para, interromper esse torpor.
Um dos métodos, usar a mente e induzir à mesma que vou racicionar, me vou movimentar, vou sair do torpor que me comprime e entrelaça e me deixa de mãos atadas.
Outro método, música ou um filme, coisas que me fazem transportar e levar até outras "paragens" e nos elevam o espírito de modo a que ele fique preparado a receber outras informações.
Assim trsnportei-me através do tempo e do espaço, e vi-me criança , brinco e corro no jardim, trepo ás árvores, faço corridas de triciclo.
Porque me fui lembrar do triciclo?!
Não sei, talvez porque fosse o meu amigo e aquele que me levava a todo o lado, aquele em quem confiava e ganhava todas as corridas da rua.
De algum modo todos temos alguém ou algo que nos faz confiar e acreditar, e nos diz que podemos e sabemos transpor os nossos receios e os nossos medos.
À medida que o tempo avança novos modelos e modos usamos, mas em todos existe em comum a nossa pessoa, a nossa identidade, os nossos pensamentos, o nosso modo de ser.
Na sociedade em que actualmente estamos inseridos, em que o exterior se sobrepõem a tudo aquilo em que acreditamos, é necessário muitas vezes ter aquela fé de criança para manter o mais possível , o comum da nossa pessoa em criança com a da pessoa que somos hoje e iremos ser amanhã.
Por isso o tempo passa, nós vamos mudando exteriormente algo que é natural e normal com o passar dos anos.
Mas e o interior? Sim o interior, esse alterou, ou modificou?
De certo modo sim, tudo aquilo que se foi tornando menos importante será colocado em segundo plano.
Será então isto que nós em crianças ansiámos? Será que nos transformámos nas pessoas que em "miúdos", pensámos que iríamos ser?
De certo modo em alguns casos será sim, outros nem por isso, outros estará bem longe disso.
De algum modo penso que aqueles de nós que mais perderam "o fio condutor" com a sua infância, são aqueles que mais se distanciaram da mesma.
Será mesmo isso?
Respostas certas não têm, nem eu tenho, nem é isso que tento fazer, compreender é apenas o que tento de algum modo fazer.
Deste modo um brinquedo que usei em criança e tantas alegrias me trouxe na altura, faz-me ver que de algum modo não perdi o meu"fio condutor" com a minha infãncia, antes sim "limei" arestas e progredi.
Fez-me ver que não me transformei em nenhuma pessoa que era o oposto do que eu queria.
Dei conta que ontem, hoje e amanhã andarei sempre numa busca incessante.
Dei conta que os sonhos que temos em crianças não os devemos de algum modo esquecer e sim lutar sempre por eles, acima de tudo lembrando que o acreditar de criança é esse que nunca devemos esquecer e se possível nunca perder.
Hoje pergunto onde está a "nossa criança" em nós?
Por mim, penso e deduzo que sei onde se encontra, será que todos podem dizer o mesmo?
Pedro Barroso e" Anúncio Confidencial" foram os meus acompanhantes ao logo desta "pequena viagem".

5 comentários:

paper life disse...

Dois bons apoios, como as rodas laterais do triciclo.

:) Segue. A Vida é sempre em frente.

the guardian disse...

a criança que há em nós encontra-se camuflada por uma sociedade sem valores e de pressão continua.

bjs

rafaela disse...

Este texto fez-me avaliar, existe um grande fosso entre mim e a criança que fui, nao por ter tido uma infância pouco feliz, mas porque me afastei dos locais aonde brincava, afastei-me da minha terra e já não posso ir a esses locais pra me encontrar, pra de certa forma me rever neles.

*

Paixao disse...

"A criança que fui chora na estrada / Deixei-a ali quando vim ser quem sou", disse Fernando Pessoa.Eu repito-o e dou-lhe um novo sentido: a criança que fui não pôde crescer comigo, mas é essencial para eu saber quem sou. continua assim

Bitta disse...

O outro dia num pacotinho de açucar li assim:
"Quero crescer
Crescer
Crescer
Para ser outra vez criança"

Gostei muito do texto e do blog.
Voltarei...

Seguidores

 
Mundo do fim do Mundo. Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul Tested by Blogger Templates.