Destaque_ Filme_Avatar

Filme: Avatar Director: James Cameron Estreia em portugal: 17-12-2009 Género: Acção/Aventura/Ficção Científica Estúdio: 20th Century Fox Website: www.avatarmovie.com Entre os actores principais: Sigourney Weaver Michelle Rodriguez Filme em 3D que marca o regresso de James Cameron.

15 março 2006

Caminho ao longo da estrada...


Foto de: Desconhecido

Caminho ao longo da estrada, levemente uma brisa se solta, o sol penetra lentamente na pele, começa-se a sentir o calor primaveril.
Suavemente ao caminhar apercebo-me, que com o calor uma leve poeira se solta, se levanta e desaparece no ar, se desfaz em mil partículas.
Mil partículas voam e deslizam para outras paragens, para outros lugares, para outros mundos.
Invisíveis aos meus olhos - mas sensíveis a eles, - sensíveis à minha pele, à minha transpiração, à minha respiração, vão-se moldando e transformando, adquirindo uma nova textura.
Começam por ser irritantes aos olhos, os primeiros a reclamarem do "ataque" tão repentino e súbito. Como resposta lacrimejam e levo a mão ao rosto, procurando o olho que foi afectado tento limpar, em vão... com tal atitude mais contribui para se alastrar e piorar.
O ar torna-se um pouco mais forte, coloco os óculos para proteger, respiro algo interfere no meu nariz, tento afastar e simultâneamente começo a tossir, passou!
Já me livrei desta - pensei.
Prossigo, e enquanto vou caminhando dou conta que o calor se vai intensificando, as mãos começam a transpirar as poeiras que pairam no ar, encontram um local bom para se instalar, quando me apercebo as mãos estão de uma cor ligeiramente diferente pois ao passar na roupa clara esta mudou de cor.
Nada me importa já, está calor e nada me faz sentir melhor que o calor, mesmo com estas poeiras pelo ar.
Sim é verdade andam poeiras pelo ar, mas anda vida pelo ar, anda alegria pelo ar, os pássaros cantam, as árvores "sorriem" como que a dizer "olá".
As roupas são mais leves, mais agradáveis o mesmo acontece com os sapatos.
Que bom já não preciso de correr quando saio do carro por causa do frio, para me abrigar.
Por isto e porque me sinto bem com poeiras - calor -, com o vento e porque só quando o calor surge e as terras ficam secas a poeira fica no ar, e ...sim existe um e... quando assenta, algo vai surgir ou desapercer. De que modo?
Surge de modo simples, ao cair a poeira fica uma fina camada por cima do que "quer que seja", assim o que "quer que seja" que passe deixa lá a sua marca, o seu rastro.
Desaparece do mesmo modo simples, a poeira ao cobrir o ou os objectos está a fazer desaparece-lo do campo e visão - algo novo surge.
Assim as partículas que formam a poeira, de algum modo transformam as coisas e as paisagens, grande parte delas são efémeras e de curta duração, outras existem que devido as circunstâncias e aos locais são de longa duração, mas com actualização no visual com grande frequência - desertos, ou locais de extensão bastante secos.
Assim partículas de um formato invível ao olho humano são transportadas pelo vento, tendo como ínicio uma simples estrada de alcatrão, viajam milhares de kms e não damos conta de tal.
Assim somos nós "pessoas" como uma partícula que de algum modo recebe tudo de todo o lado, capta de vários modos e várias informações em segundos, por isso e por termos a vantagem sobre a partícula que é o pensar e a capacidade de raciocínio, pudemos conduzir a "nossa viagem" e deixar a nossa "marca" de modo efémero ou agir como os desertos de modo duradouro e a pensar no futuro.
Cabe a nós fazer a escolha, o modo como queremos? o que queremos? pois até nisto pudemos optar. Façamos a escolha a pensar no futuro, não só de cada um, mas também um pouco no global.
Foi ao lêr o "Défice de Sol" no Lote5-1dto, que dessencadeou isto, eu preciso de sol para viver mais não só para viver para andar bem.

Pink Martini- Amado mio acompanharam-me ao longo da escrita deste texto, só podia ser algo com "cheiro" a calor

15 comentários:

inBluesY disse...

agradável conjunto o teu :)

ele tem vezes, de dificil resolução deerminados futuros, penso eu, porque chegar ao futuro demora, e andamos muito ansiosos pelo instantaneo, pelo rápido, e pelo egoismo que caracteriza cada vez mais esta sociedade...

este é o canto onde sempre me identifico, onde reflito.

beijinhos

spartakus disse...

Precisas, num. Precisamos. B'dia.

Flor disse...

Gostei deste teu (in)visivél.


Beijo meu ( o blog não acabou, vai voltar, por agora é uma maneira minha de felectir...)

paper life disse...

Belo texto.

Tu precisas de sol e eu de chuva. É na água que vejo o brilho da natureza, os reflexos o explendor do verde, limpo de poeiras.

As marcas também ficam na lama. Somos diferentes.

Ser diferente é bom: faz a Humandade.

:)

Sinapse disse...

Vejo que regressas em cheio!
Belo texto!

Bjinhos,

Boa noite

Maria Clarinda disse...

Como eu entendo o sol, a luz, o calor são a única força que me faz viver...
Jinhos

rafaela disse...

o sol, carrega-nos literalmente, da-nos energia, vontade, já sinto a falta dele, parece que foi uma visita curta, mas vai voltar, e nós vamos ve-lo.

belo o teu texto, faz-nos quase sentir essa poeira, esse calor.

=) bom dia

dreams disse...

tal como tu, eu preciso do sol... para me sentir viva, radiante, bem disposta...

gostei do teu ponto de vista ;)

um beijo *
“·.¸Dreams¸.·”

spartakus disse...

PRECISO DE TI NO MEU BLOGUE

spartakus disse...

B'dia e beijinho.

Flor disse...

Sabes cada vez percebo melhor o sentido do nome que deste ao teu blog!!


Coerente sim...

Bom fim de semana

beijo meu

aprendiz de viajante disse...

Adorei ler-te...
Temos ideias e paixões em comum...
Voltarei.

Bom fds

Sinapse disse...

Gosto mt da música com que abre o teu blog.
Passei para desejar um bom fim-de-semana!

seirén disse...

Ainda que eu seja alérgica a poeiras, este texto quanto mais se lê mais bonito é.

:)

Carlota disse...

Olha, pelo menos fico satisfeita por a ausência de sol que há por aqui servir de inspiração a vizinhos longínquos!
Beijola

Seguidores

 
Mundo do fim do Mundo. Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul Tested by Blogger Templates.